Páginas

quinta-feira, 26 de maio de 2016

SOBRE ESSE MOMENTO DEPRIMENTE QUE VIVE O BRASIL

Laerte, sempre genial

quarta-feira, 4 de maio de 2016

TERMINA NESTA QUINTA-FEIRA A 2ª FESTA LITERÁRIA DE SERRA TALHADA



Com o Tema : AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DE PERNAMBUCO NO CENÁRIO NACIONAL, SERRA TALHADA celebra sua emancipação com festa para escritores. A FLIST – FESTA LITERÁRIA DE SERRA TALHADA é um espaço para debates de ideias e interação entre as diversas obras de arte e meios culturais representativos do município de Serra Talhada e  região, abrindo destaque para a produção literária e cultural local, regional e nacional, de modo que os estudantes tenham contato direto com os livros, autores e artistas, juntos, interagindo e criando momentos únicos de entretenimento, conhecimento, arte e cultura, que são os primeiros passos marcantes para desenvolver o interesse pelas obras de cunho cultural.

FLIST – FESTA LITERÁRIA DE SERRA TALHADA  teve início na terça-feira, 03 e termina na quinta, com as seguintes atividades:
09 h – No CIRCO FLIST, shows de malabarismo, palhaços, brincadeiras lúdicas e contação de histórias.
 15 h –. No CIRCO FLIST, shows de malabarismo, palhaços, brincadeiras lúdicas e contação de histórias.
 19h30min – Lançamento do livro "A SUTILEZA DO SANGUE", da escritora ANDREA FERRAZ.
 20 h – Prosa de Escritor: LITERATURA E REDES SOCIAIS: PALAVRAS ESPALHADAS PELO MUNDO, com CRISPINIANO NETO. Poeta cordelista, com aproximadamente 150 folhetos de Literatura de Cordel Nordestina já publicados. Membro eleito para a Cadeira no. 06 da Academia Mossoroense de Letras e Presidente Comissão Gerenciadora da Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura, recebeu o Título "Poeta dos Direitos Humanos do RN" e o Troféu "Colaborador da Cultura Brasileira" e Menção Honrosa nos 400 Anos de Natal. Atualmente é Diretor Geral da Fundação José Augusto, cargo correspondente ao de secretário de Cultura do Estado do Rio Grande do Norte.
21 h  - MESA DE GLOSA com os poetas: Dedé Monteiro, Henrique Brandão, Gonga Monteiro, George Alves, Zé Carlos do Pajeú, Dudu Moraes, André Santos, Dimas Feitosa, Genildo Almeida e Alexandre Morais.

ATIVIDADES PARALELAS

FEIRA DE LIVROS: Das 16 às 22 horas, estarão abertos os stands literários dos escritores e editoras.
ESCAMBO DE LIVRO: Será um espaço para as pessoas trocarem livros em bom estado, só não podem ser didáticos ou religiosos. Qualquer pessoa pode chegar com um livro, deposita num cesto e pega outro.
EXPOSIÇÃO – COLUNA PRESTES, 90 Anos da Travessia para a Bahia pelo Rio São Francisco, na Sala do CRI, na Estação do Forró.
ALVORADA LITERÁRIA FLIST: Todos os dias da Feira, às 5 da manhã, serão deixados livros em diversos pontos da cidade, para qualquer pessoa interessada numa boa leitura. O interessado recolhe o livro, lê e quando concluir a leitura, mesmo sendo após o evento, entrega o mesmo na Biblioteca Pública Municipal Cecílio Tiburtino. Livro gratuito para todos.

Realização 
Fundação Cultural Cabras de Lampião
Secretaria de Cultura e Turismo
Secretaria de Educação
Prefeitura Municipal de Serra Talhada
Academia Serra-talhadense de Letras
Apoio:
SESC
AESET
Livro Fácil
Editora Coqueiro

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Começou hoje a Clisertão 2016 - 3º Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão

Tudo pronto para mais uma imersão literária pelo sertão pernambucano. O 3º Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão (Clisertão 2016) anuncia a intensa programação que vai ocupar Petrolina entre os dias 2 e 6 de maio. O evento é é uma realização da Universidade de Pernambuco, campus Petrolina/Colegiado de Letras, em parceria com o Governo de Pernambuco, através da Secult e Fundarpe.
Debates, lançamento de publicações, minicursos, apresentação de trabalhos, recitais e ecoleituras são algumas das atrações confirmadas desta edição, que presta homenagem ao escritor baiano e membro da Academia Brasileira de Letras, Antônio Torres, e à crítica literária petrolinense Elisabet Moreira. Sob o tema ‘Livro, Leitura e Memória’, o Clisertão reafirma-se como um grande evento na área do livro, leitura e literatura.
divulgação
divulgação
O escritor Antônio Torres é um dos homenageados desta edição
“Nessa terceira edição, ele se consolida como uma ação que ajuda a construir atividades exitosas voltadas para a democratização do acesso ao livro no Sertão. Dessa forma, a UPE e a Secult/Fundarpe, realizadoras do evento, lutam para que o livro não seja visto apenas como um produto de mercado, mas como elemento importante na construção da cidadania e da qualidade de vida”, comenta o professor Genivaldo do Nascimento, coordenador geral do Clisertão.
Ricardo Moura/SecultPE
Ricardo Moura/SecultPE
Também homenageada, a crítica literária Elisabet Moreira vai participar da programação
Nomes como Marcelino Freire, Xico Sá, Bráulio Tavares, Cida PedrosaWashington Cucurto (Argentina), Veronique Bulteau (França), Mónica González (Chile), Idália Morejón (USP) e Marisa Lajolo (Unicamp) – além dos homenageados -, estarão presentes, discutindo com o público universitário alguns temas urgentes para a literatura brasileira, como a formação de leitores, o cenário da crítica, a utilização de novos suportes e o rompimento com o imaginário pré-estabelecido sobre a produção literária no sertão.
Para Wellington de Melo, coordenador de Literatura da Secult-PE, o evento “é uma iniciativa que vai além dos congressos científicos tradicionais, pois já nasce deste desejo de integrar ciência, tecnologia, educação e cultura, olhando para fora dos muros da academia, dialogando com a sociedade”.
Nesse sentido, algumas ações descentralizadas (marcas das primeiras edições) estão novamente confirmadas. Entre elas, o Clisertãozinho, com teatro e contação de histórias em escolas mais afastadas do centro de Petrolina, e as Ecoleituras, que sugerem vivências literárias e de contemplação das riquezas naturais da região, como a Ilha do Rodeadouro, o por do sol no Serrote do Urubu e o próprio rio São Francisco.
O recital musicado ‘Ai Se Sêsse’, do poeta-educador pernambucano Maviael Melo; uma homenagem, feita pela Facape, Univasf, UPE e Uneb,  pelos 50 anos de carreira de Geraldo Azevedo; e ainda a ação ‘De repente poesia’, com o repentista e escritor Geraldo Amâncio, também são destaques da programação, inteiramente gratuita.
POLÍTICAS PÚBLICAS
Aproveitando a presença de escritores, poetas populares e demais interessados nas políticas públicas para a Literatura no estado, o Clisertão vai acolher, na manhã do dia 4/5, uma escuta para a construção do PELLLB – Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca.
De acordo com o Secretário Estadual de Cultura Marcelino Granja, “o momento é de construção coletiva e pactuação de um programa estruturante para a literatura no estado, com ações e políticas que podem virar realidade num curto espaço de tempo, como também aquelas que serão metas para os próximos dez anos”.
A presidente da Fundarpe Márcia Souto reforça a importância do encontro, que “pretende diagnosticar cenários e apontar desafios comuns para o fortalecimento de todas as cadeias do setor, sem perder de vista alguns aspectos territoriais e o perfil de desenvolvimento sociocultural de cada região pernambucana”, comenta.
Além de gestores públicos, o momento contará com a presença de representantes do Fórum Pernambucano em Defesa das Bibliotecas, Livro, Leitura e Literatura.
CULTURA PERNAMBUCANA NAS ESCOLAS
Através do projeto Outras Palavras, da Fundarpe e da Secult-PE, o Clisertão 2016 vai deixar mais um bom legado na região. Cinco escolas de referência vão receber, cada uma, um kit com 15 obras de escritores pernambucanos, entre livros de contos, romance, poesia e narrativas sobre mestres da nossa cultura popular e Patrimônios Vivos do Estado.
Para a vice-presidente da Fundarpe e coordenadora da iniciativa, Antonieta Trindade, “esta é mais uma forma que encontramos de contribuir para a circulação das obras literárias pernambucanas e, sobremaneira, com a formação cultural dos nossos estudantes, da nossa juventude”, destaca.
Será a terceira entrega pública do Outras Palavras. Em 2015, 120 escolas de referência da RMR receberam os kits e, já neste mês de abril, os 16 campi do IFPE também foram beneficiados. Entre as obras, destaque para os 14 livros vencedores das três edições do Prêmio Pernambuco de Literatura.
CLISERTÃO 2016
O 3º Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão é uma realização da Universidade de Pernambuco, campus Petrolina/Colegiado de Letras em parceria com o Governo de Pernambuco, através da Secult e Fundarpe.  O evento conta com o apoio da Prefeitura de Petrolina, da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), da Empetur, do Plenus Colégio e Curso e da Criatur.
PROGRAMAÇÃO COMPLETA – CLISERTÃO 2016
SEGUNDA-FEIRA, 2 DE MAIO
MANHÃ
Ações Descentralizadas
9h às 12h–Ecoleituras
Convidados visitam a Ilha do Rodeadouro
Saída da Orla, em frente ao Palace Hotel.
TARDE E NOITE
Auditório UPE – Petrolina
15h – 17h30 | Credenciamento e entrega de crachás/pastas
18h30 – 19h | Concerto com a Banda Philarmônica 21 de Setembro.
19h20 – Abertura oficial
Representações da Secretaria de Cultura de Pernambuco, Secretaria de Ciência e Tecnologia, Reitoria da Universidade de Pernambuco, Presidência da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco, Facepe, Empetur, Diretoria do Campus Petrolina/Coordenação de Letras, Prefeitura de Petrolina, Gerência Regional de Educação/Secretaria de Educação de Pernambuco e homenageados do 3º Clisertão.
20h às 22h – Livro e Memória
Conferência com o escritor e membro da Academia Brasileira de Letras, Antônio Torres, homenageado do 3º Clisertão. Exibição do filme “Antônio, o menino que queria ser Castro Alves” (Brasil, 2015). Mediação: Calila das Mercês e Raquel Galvão.
TERÇA-FEIRA, 3 DE MAIO
MANHÃ
Ações descentralizadas
9h – Outras Palavras
Entrega de livros de escritores pernambucanos às Escolas de Referência de Petrolina. Coordenação: Antonieta Trindade (Vice-Presidente da Fundarpe).
Local: Escola Jornalista João Ferreira Gomes.
Escolas convidadas: Dom Helder Câmara, Jornalista João Ferreira Gomes, Simão Durando, NM 11 e Adelina Almeida.
9h – Clisertãozinho
Teatro e Contação de Histórias | Local: Escola Estêvão Rodrigues Coelho (Rajada)
9h às 10h – ClisArte
Arte feita por universitários. Recital Poético.
Com o GEEPP (Grupo de Estudantes Especializados em Perfomances Poéticas) – Curso de Letras da UPE Petrolina. Local: Praça Dom Malan
9h às 12h – Ecoleituras
Convidados visitam a Ilha do Fogo. Contação de Histórias (lendas do São Francisco).
Saída da Orla, em frente ao Palace Hotel.
TARDE E NOITE
Feira de livros
15h às 21h
Venda e exposição de livros de autores locais/nacionais/internacionais pela Livraria SBS. Ao lado do Auditório da UPE (parte interna). Exposição Fotográfica e venda de produtos artesanais. Com a Associação Mulheres Rendeiras. Exposição Fotográfica Sertão Mundo. Com o Plenus Colégio e Curso.
15h15 às 16h20 – Memórias da Caatinga
Local: Campus UPE – Petrolina
Com o sociólogo e escritor Esmeraldo Lopes e a profªDrª Rúbia Lóssio (Fac. Leão Sampaio Juazeiro do Norte-CE). Mediação prof. Ms. Ivanildo Almeida (UPE Petrolina)
16h30 às 18h – Escritores Indígenas: os sentidos e significados de uma literatura feita por índios
Com o prof.Ms. Leandro Durazzo (UFRN) e o escritor e prof. Dr. Daniel Munduruku (UKA TV- São Paulo). Mediação profªMs. Kátia Gomes (UPE Petrolina)
19h – A crítica, fronteiras e desbravamentos
A poeta Cida Pedrosa conversa com a escritora, pesquisadora, crítica literária e profª Ms. Elisabet Moreira, homenageada do 3º Clisertão
20h – Ai Se Sêsse: Recital Musicado
Com o poeta-educador Maviael Melo
QUARTA-FEIRA, 4 DE MAIO
MANHÃ
Ações Descentralizadas
9h – Clisertãozinho
Teatro e Contação de Histórias
Local: Escola Camila Branco (Vila Aparecida/NM12)
9h às 12h – Escuta para a construção do PELLLB – Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca
Local: Campus UPE – Petrolina
Participação do Fórum Pernambucano em Defesa das Bibliotecas, Livro, Leitura e Literatura
TARDE E NOITE
Ações Descentralizadas
Feira de livros
15h às 21h
Venda e exposição de livros de autores locais/nacionais/internacionais pela Livraria SBS. Ao lado do Auditório da UPE (parte interna). Exposição Fotográfica e venda de produtos artesanais. Com a Associação Mulheres Rendeiras. Exposição Fotográfica Sertão Mundo. Com o Plenus Colégio e Curso.
19h às 20h30
Livros à mão cheia. Doação, troca e empréstimo de livros. Com o Plenus Colégio e Curso.
Local: Praça 21 de setembro (atrás da Prefeitura)
19h30 às 20h30
Concerto com a Orquestra Sinfônica do Sertão
Local: Distrito de Rajada
15h15 às 16h40 – Mesa e Lançamento de livros
Local: Campus UPE – Petrolina
“A ecologia do Corpo” (Juracy Marques); “Na quadrada das águas perdidas-livro e DVD (Wagner Miranda e Marcos Carvalho); “As palavras que não couberam em mim: do coração à alma” (João Trapiá); ”O Engenhoso Reino do Sertão: nova expedição sagratória ao Quinto Império do Brasil” (Gildeone dos Santos Oliveira); “Estigma” (João Gilberto Guimarães); “Claranã” (Cida Pedrosa); e “Para uma antropologia do Sertão: ecologia e sociologia do cotidiano” (Veronique Bulteau). Coordenação do poeta e jornalista Carlos Laerte.
17h às 18h – Comunicações Orais
18h às 19h – Apresentação de Pôster
19h às 21h30 – Minicursos/Oficinas
QUINTA-FEIRA, 5 DE MAIO
MANHÃ
8h às 12h – Ecoleituras
Convidados visitam a Barragem de Sobradinho, um dos maiores lagos artificiais do mundo.
Saída da Orla. Em frente ao Palace Hotel. Vagas: 40
8h – Tropeiros
Conversa com os jovens autores Matheus José, Ana Luísa Von e João Gilberto (CLAE) nas escolas e doação de livros.
Local: Escola Antonio Padilha (das 8h às 10h), Escola de Aplicação (das 10h30 às 12h) e
Associação das Mulheres Rendeiras (das 15h às 16h).
9h – Clisertãozinho
Teatro e Contação de Histórias.
Local: Escola Luiz de Souza (Serrote do Urubu)
TARDE E NOITE
Ações Descentralizadas
15h às 21h
Venda e exposição de livros de autores locais/nacionais/internacionais pela Livraria SBS. Ao lado do Auditório da UPE (parte interna). Exposição Fotográfica e venda de produtos artesanais. Com a Associação Mulheres Rendeiras. Exposição Fotográfica Sertão Mundo. Com o Plenus Colégio e Curso.
15h15 às 16h30 – Cordel contemporâneo: novos leitores e novos suportes
Conferência com o escritor, músico e crítico literário Bráulio Tavares. Mediação: profª Drª Dirce Jaeger (UPE-Garanhuns).
Local: Campus UPE – Petrolina
16h40 às 18h – A velha nova geografia da fome: campos de concentração no Ceará
Com o escritor e jornalista Xico Sá e o produtor cultural Chico Egídio. Mediação prof.Ms. Moisés Almeida (UPE Petrolina)
João Freire/SecultPE
João Freire/SecultPE
Marcelino Freire é uma das atrações confirmadas
19h às 20h – De Rasif à Constitución: uma prosa entre memória, lugar de fala e travessias culturais
Com os escritores Marcelino Freire e Washington Cucurto (Argentina). Mediação Profª. Drª Paula Santana (UFRPE Serra Talhada)
20h10 às 21h10 – Olhares entrecruzados: para uma antropologia do Sertão – ecologia e sociologia do cotidiano
Prof. Dr. Lourival Holanda (UFPE) conversa com a pesquisadora Drª Veronique Bulteau (França). Mediação profª Ms. Joelma Reis (Secretaria Municipal de Educação de Petrolina)
21h20 às 22h – Geral-do Brasil
Homenagem realizada pela Uneb, Facape, UPE e Univasf. Com o cantor e compositor Geraldo Azevedo, nos seus cinquenta anos de carreira, e representantes das IES homenageadas. Lançamento do livro Geral-do Brasil. Coordenação prof. Dr. Juracy Marques (Uneb)
SEXTA-FEIRA, 6 DE MAIO
MANHÃ
Ações Descentralizadas
9h – Clisertãozinho
Teatro e Contação de Histórias
Local: Escola Ricardo Rodrigues de Miranda (Caatinguinha)
9h às 11h30 – Minicurso
Local: Campus UPE – Petrolina
Como publicar em E-book: etapas, vantagens e desvantagens da publicação de livros no mundo virtual. Com a profª Drª Sandra Araújo (Coordenadora da Edupe – Editora da Universidade de Pernambuco; professora da UPE).
TARDE E NOITE
Feira de Livros
15h às 21h
Venda e exposição de livros de autores locais/nacionais/internacionais pela Livraria SBS. Ao lado do Auditório da UPE (parte interna). Exposição Fotográfica e venda de produtos artesanais. Com a Associação Mulheres Rendeiras. Exposição Fotográfica Sertão Mundo. Com o Plenus Colégio e Curso.
19h30
Peça “O Santo e a Porca”. Com a Companhia TPA-Teatro Popular de Arte.
Para alunos das escolas públicas estaduais: João Barracão, Eduardo Coelho e Dom Malan e das municipais de Petrolina: Luiza de Castro, São Domingos Sávio, Jacob Ferreira e Anézio Leão.
Local: Teatro Dona Amélia (Sesc)
15h15 às 16h10
Local: Campus UPE – Petrolina
O lugar da Literatura Brasileira na América Latina
Com a profª Drª Idalia Morejón Arnaiz (USP) e a profª Drª  Mónica González (Universidade de Talca-Chile). Mediação profª Drª Cristina Botelho (UPE-Nazaré da Mata)
17h às 18h30 – Ecoleituras
Convidados assistem ao pôr do sol no Serrote do Urubu, local onde se ouve e se vê o rio São Francisco. Saída da UPE.
19h às 20h: Literatura, Escola e Formação de Leitores
Conferência com a profª Drª Marisa Lajolo (Unicamp).  Mediação: profª Ms. Maria Rivaldízia do Nascimento (FACAPE e Rede Estadual de Ensino de Pernambuco)
20h10 às 21h – De repente poesia
Com o repentista e escritor Geraldo Amâncio
- See more at: http://www.cultura.pe.gov.br/canal/literatura/clisertao-2016-anuncia-programacao-completa/#sthash.jm57vqXG.dpuf

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Música, dança e poesia marcam o encerramento do IX Festival Literário do Sertão


O último dia do IX FLIS – Festival Literário do Sertão, promovido pela Prefeitura de Sertânia, por meio da Secretaria de Juventude, Esportes, Cultura e Turismo, em parceria com a Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores e Artistas de Sertânia – SAPECAS, levou a Caravana Cultural à Fazenda Conceição, pertencente a Ulysses Lins, que foi palco das suas memórias e é tão lembrada em sua obra. 

A Caravana Cultural mostrou o trabalho que vem sendo realizado pela Escola Municipal de Música, Teatro e Dança com crianças e adolescentes sertanienses. A tarde começou com a apresentação do grupo “Feijão de Cordas”, formado por alunos da Escola de Violão, que apresentaram um repertório eclético, tocando ritmos variados intercalados com poesia. O grupo fez uma homenagem a Ulysses Lins e emocionou o público presente. 

Em seguida, o Grupo de Danças Folclóricas Professora Elisabete Freire apresentou o Folguedo Junino, relembrando os festejos juninos do Nordeste, tão valorizados na prosa e nos versos de Ulysses. Houve também o “Sarau dos Sertões: Exaltação à Poesia Sertaneja”, com participação de poetas de Sertânia e Tabira, que declamaram sonetos, décimas, quadras e poemas de Ulysses Lins, fazendo uma verdadeira homenagem poética ao trovador. 

Therezinha Lins (filha de Ulysses) e Leonardo Lins (Neto de Ulysses) agradeceram em nome da família pela homenagem feita a Ulisses no Festival Literário. “Estamos muito felizes com essa homenagem, um reconhecimento à belíssima obra de Ulysses Lins, obrigada pela participação e atenção do público. A Fazenda Conceição estará sempre de portas abertas para todos que queiram pesquisar, estudar e conhecer melhor a obra de Ulysses Lins”, disse Therezinha. 

O prefeito Guga Lins falou da importância de Ulysses para a literatura sertaneja e enfatizou o grande trabalho feito com jovens e crianças nas escolas da Secretaria de Juventude, Esportes, Cultura e Turismo. “É uma satisfação vê o resultado do trabalho feito com os jovens integrantes das escolas de artes de Sertânia, que nos proporcionaram um show de cultura e poesia, valorizando ainda mais o legado deixado por Ulysses Lins, referência de poesia e memória para o Moxotó, para Pernambuco e para o Brasil”, disse Guga Lins. 

O evento foi encerrado com a apresentação da Escola de Sanfona, que mostrou clássicos do forró nordestino e fez todos cair no forró. O IX FLIS, objetiva criar condições para a produção, divulgação e a recepção da poesia regional e da literatura infantojuvenil através de atividades que garantam a participação e interatividade dos alunos das escolas públicas e de toda população. / Fotos e Informações da Assessoria de Comunicação de Sertânia






sábado, 9 de abril de 2016

DO JORNAL DO COMMERCIO: Sertão do Pajeú mostra nova geração literária e musical.


Escritores sertanejos mantém uma produção farta e de qualidade, que escoam graças à determinação
A poesia do Sertão do Pajeú de Pernambuco não se foi com os trocadilhos de Lourival Batista, ou com o lirismo de Rogaciano Leite. Pelo contrário, seus versos, junto com os de tantos outros poetas sertanejos, germinaram uma nova geração de artistas pajeusenses, que estão conseguindo realizar suas obras artísticas e distribuí-las sem depender de grandes apoios financeiros, contando apenas com o companheirismo dos demais artistas.A militância de artistas como esses está presente, acima de tudo, no ato de permanência produtiva cultural. São diversos eventos mensais e anuais que acontecem por meio de colaborações artísticas e pequenos incentivos privados – geralmente do comércio local –, fazendo com que a cena continue caminhando. A dinâmica segue da seguinte maneira: quando o evento acontece na cidade “x” os poetas e músicos dos municípios vizinhos vão participar sem cobrar nada além de uma ajuda de custo. Assim, é como se existisse um rodízio de eventos democráticos e sem fins lucrativos em prol do público e dos próprios poetas que defendem a cultura sertaneja. Artistas de cachês mais altos, como Flávio Leandro e Irah Caldeira, também costumam participar de alguns desses eventos, requisitando unicamente transporte e hospedagem – Irah, por exemplo, já se apresentou por nove anos consecutivos na Missa do Poeta, em Tabira, sem pedir remuneração.
Segundo o professor, produtor e poeta Genildo Santana, de Tabira, membro da Associação dos poetas e prosadores de Tabira (APPTA), uma mesa de glosas de qualidade pode ser custeada com cerca de R$ 1,5 mil. 
Cadeia produtiva motiva a fé
Nesse cenário independente, a produção e a distribuição dos livros são feitas pelos próprios poetas, e o serviço de impressão acontece, na grande maioria das vezes, através de gráficas particulares situadas na região, tudo custeado pelo autor, sem editoras. Os músicos gravam, mixam e masterizam suas próprias músicas. Os artistas usam as redes sociais na hora de difundir e até mesmo vender seus produtos, sejam CDs, livros, cordéis, ou qualquer outro material.
 Zé Adalberto, poeta, produtor e escritor independente de Itapetim, é autor dos livros Cenário de Roedeira e No Caroço do Juá, além de vários cordéis e um CD de declamações que fez junto com os poetas Alexandre Morais e Genildo Santana intitulado de Retrato Três por Três. Recentemente, Zé Adalberto fechou contrato com a Design Editora e Gráfica para produzir o seu novo livro, Real ou Imaginário: Circo é Diversão. “O que dificulta muito é que não podemos vender os livros para o governo já que essas obras são quase sempre sem registro, sem falar que a tiragem é bem curta. O CD com Alexandre e Genildo foi feito para pagar os custos da viagem do divulgação de um dos meus livros. O lado bom de se estar com uma editora é que o seu poder de alcance cresce: o meu novo livro, por exemplo, irá para alunos filhos de brasileiros no Canadá”, diz o poeta.
zé adalberto
Zé Adalberto                                                                                    
Vinícius Gregório, de São José do Egito, membro do grupo Baião de Nós Três, disponibilizou para download gratuito o seu CD de declamações.
Antônio Marinho, de São José do Egito, integrante do Em Canto e Poesia e produtor da Festa de Louro, comenta: “O artista tem que fazer o que é verdade para ele. Quando você faz de verdade, você termina se juntando a outras pessoas, a outras artes, e fazendo parte de uma natural coletividade. Eu acho que não é pensar num produto de venda, mas pensar realmente em como que você deseja fazer enquanto artista. Acho que isso já é militar o bastante, fazer a verdade e deixar que a arte se sobressaia antes de tudo.”
mulheres
Foto de Bernardo Ferreira/Divulgação (Da esquerda para a direita, em pé, Gislândio Araújo, Alexandre Moraes, Ayrton Queiroz, Dudu Morais, Lucas Rafael, Genildo Santana, Lenelson Piancó, Dayane Rocha, Henrique Brandão, Lima Júnior, Marcos Freitas, Zé Adalberto e Jorinha Ferreira; Sentados, da esquerda para a direita, Vitória Fernarndes Izabela Ferreira, Dayane Lopes, Thyelle Dias, Neci de Arnaldo, Kamila Leite e Lucivânia Bernardo).

CONHEÇA
 
Músicos:
 
Alguns dos tantos artistas musicais são: As Severinas, trio de poetisas que misturam forro pé de serra com poesia; Em Canto e Poesia, trio de músicos e poetas interpretando e produzindo versos e cantigas; Baião Nós Três, com pouco tempo de estrada mas muito de poesia; Vozes e Versos, banda mais regional, com forró pé de serra e poesia; Mambembes, que mistura alguns estilos com a vertente regional; Xote do Bem, banda de forró que interpreta versos de poetas regionais;Henrique Brandão, Poeta e cantor, que recentemente lançou seu primeiro vídeo clipe da música Réu Confesso.
 
Escritores:
 
Abrão Filho, de Brejinho-PE; Alexandre Morais, de Afogados da Ingazeira-PE;Arlindo Lopes, de São José do Egito-PE; Dedé Monteiro, de Tabira-PE; Dudu Morais, de Tabira-PE; Egito Siqueira, de São José do Egito-PE; Genildo Santana, de Tabira-PE; Geni de Fonte, de Itapetim-PE; Gonga Monteiro, de Tabira-PE; Lenelson Piancó, de Itapetim-PE; Lima Júnior, de Tuparetama-PE; Nenem Patriota, de São José do Egito-PE; Paulo Monteiro, de Tabira-PE; Vinícius Gregório, de São José do Egito; Zé Adalberto, de Itapetim-PE.

EVENTOS POPULARES

Caçuá da Cultura, produzido pelo poeta Fernando Marques, em São José do Egito;Balaio Cultural, também produzido por Fernando Marques, em Tuparetama;Cestão da Cultura, organizado pelos poetas Gislândio Araújo e Ayrton Queiroz, com contribuição da Secretaria de Educação de Brejinho; Cantilena, organizada pelo poeta Luizinho, em Ingazeira; Festa de Louro (anual, nos dias 4, 5 e 6 de janeiro), organizado pela família Marinho, com apoio de órgãos público e privado;Itapetim DiVerso, organizado pelos poetas e escritores Zé Adalberto e Lenelson Piancó e com o apoio da prefeitura, em Itapetim; Mesa de Glosas para a Mulher, produzida também pelo poeta Zé Adalberto e com o apoio da prefeitura local, em Itapetim; Missa do Poeta (anual), em Tabira, organizada pela Associação de Poetas e Prozadores de Tabira; Serra Cultural, produzida pelo poeta e músico Henrique Brandão, em Serra Talhada; O Pajeú em Poesia (25/12 – anual), organizada pelo poeta e escritor Alexandre Morais, em Afogados da Ingazeira.

Foto: Rayane Brito/ Bernardo Garapa

quarta-feira, 30 de março de 2016

REVISTA PAJEUZEIRO, O PRIMEIRO SUPLEMENTO CULTURAL DA REGIÃO

Por Willian Tenório / Via Nill Junior
Revista Pajeuzeiro – Edição 01 - FINAL A2Revista Pajeuzeiro é o primeiro suplemento cultural dedicado à cultura popular e tradicional do Sertão do Pajeú, a revista tem distribuição gratuita nas cidades da região.
Nesta primeira edição temos como capa o artista Edierck José, numa entrevista em que ele fala um pouco de sua trajetória. Na coluna “Um Papo no Boteco”, Alexandre Morais e Genildo Santana conversam com o poeta de Itapetim, Zé Adalberto.
A revista conta ainda a colaboração da professora Uilma Queiroz em uma matéria sobre o protagonismo das “Artesãs pajeuzeiras”, do poeta Vinicius Gregório com o texto “Como surge a inspiração?” e a professora Wivianne Fonseca traz uma reflexão sobre “Cultura e Escola”.
Você pode fazer o download da revista e ter acesso na integra a seu conteúdo através do site – www.revistapajeuzeiro.com.br – e no facebook – facebook.com/revistapajeuzeiro.


Se você é professor e quer trabalhar o conteúdo da Revista Pajeuzeiro com seus alunos, entre em contato conosco através do e-mail – revistapajeuzeiro@gmail.com . O projeto tem incentivo do Funcultura, da Fundarpe, da Secretaria de Cultura e do Governo do Estado de Pernambuco.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

É MAIS TARDE DO QUE VOCÊ IMAGINA.... MAS CUIDA NA VIDA, ANTES TARDE DO QUE TARDE DEMAIS